Orgânicos in Box: como tudo começou

Em 2014 o Rio de Janeiro era outro. Não faz tanto tempo assim, mas nos últimos anos a cidade se transformou no quesito comida. Até então não era fácil encontrar orgânicos, nem nos maiores mercados. Na verdade, pouco se falava neles.

Nesse mesmo ano nossa sócia-fundadora Aline e seu companheiro Edu, então grávidos de sua primeira filha e inspirados por vivências no exterior, estavam determinados a construir um mundo melhor através da alimentação. Lá atrás sua missão já era a mesma de hoje: fortalecer a produção e democratizar o consumo de orgânicos no Rio de Janeiro. E foi através das cestas de orgânicos que eles buscaram um negócio com um propósito alinhado à saúde, à sustentabilidade e à economia colaborativa, fomentando um mundo mais justo e bom para sua filha, Tainá, que estava chegando.

Foi com essa ideia na cabeça que Aline visitou a maior feira de orgânicos do Brasil e lá conheceu diversos fornecedores de frutas, legumes e produtos de mercearia com certificação orgânica. Voltando ao Rio, ela já tinha a ideia pronta: fornecer orgânicos através de cestas direto do produtor. Então, depois de apresentar a proposta a alguns feirantes orgânicos, três produtores compraram a ideia e entraram na rede do que logo mais seria a Orgânicos in Box.

Outra coisa curiosa sobre o ano de 2014 é que nessa época o Facebook era mais popular do que o Instagram, e foi lá que o nosso negócio começou para valer. O sistema era simples: Aline convidou os amigos do Facebook e, com a ajuda de um formulário do Google, recebia os pedidos e fazia as encomendas direto com os produtores.

E o grupo cresceu, passando rapidamente de 250 participantes a quase 15.000 integrantes. O boca a boca foi forte, e mais de 20 mil cestas foram entregues sem nenhum anúncio ou publicidade. Mas logo o Facebook deixou de dar conta da demanda, e a coisa precisou ficar mais séria. Foi quando a Orgânicos in Box começou a funcionar em um centro de distribuição na Tijuca, e a vender as cestas através de sua própria loja. Ah, e a Tainá ganhou um irmãozinho, o João!

Também foi mais ou menos nessa época que o Edu resolveu investir em outros projetos e a Aline reencontrou o Filipe, um amigo da faculdade de economia da UFRJ, e o convidou para fazer parte dessa rede. Filipe topou, e com ele a Carla, a primeira funcionária da Orgânicos in Box, também se juntou à sociedade.

Hoje a Orgânicos in Box é liderada por essas três pessoas que acreditam no futuro dos orgânicos. Aqui na nossa loja na Tijuca recebemos todos os alimentos e montamos cada cesta que mandamos para os nossos clientes. Atualmente trabalhamos com cinco modelos de cestas prontas, além da cesta personalizada, que você pode montar do jeito que quiser.

Como começou a Orgânicos in Box?

Temos muito orgulho da nossa história e da nossa trajetória, e nesse caminho vimos com nossos próprios olhos como é importante uma rede forte de produtores e de consumidores engajados com a missão de se alimentar de forma mais orgânica e saudável. E que alegria é saber que podemos contar com essa rede!

Se depender da gente, o Rio de Janeiro será todo orgânico. Faça parte dessa história também e espalhe a boa nova: o futuro é orgânico e ele é possível!

***

Dúvidas cobre como funciona? Clique aqui e saiba mais.

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Orgânicos do seu jeito

Post do blog: orgânicos do seu jeito

Cada vez mais os alimentos orgânicos tomam as prateleiras dos supermercados, lojas de bairro e feiras da cidade – que bom! Essa oferta cada vez maior reflete uma mudança importante no hábito de consumo ou, em bom português, isso significa que as pessoas estão cada vez mais conscientes da importância de uma alimentação saudável e livre de agrotóxicos.

Ficamos muito felizes em ver os orgânicos ganhando espaço na cidade, mas a oferta ainda está longe do ideal e sabemos como são poucas as opções para quem quer levar uma vida mais orgânica. E essa é justamente a nossa razão de ser: queremos espalhar a comida orgânica por toda a cidade, e nossas cestas foram montadas para levar diversidade na medida certa para você e a sua família.

As cestas de orgânicos são ideais para quem quer se alimentar bem sem abrir mão da praticidade, mas muita gente ainda fica com o pé atrás quando o assunto é assinatura. Aqui na Orgânicos in Box fazemos de tudo para que sua experiência seja o mais personalizada possível e oferecemos flexibilidade nos modelos de assinatura, na entrega e na escolha dos produtos. Vem com a gente que vamos explicar tudinho aqui embaixo!

Flexibilidade de cancelamento

Viver nos nossos tempos é uma correria danada – sabemos disso porque por aqui também vivemos um corre diário para entregar o melhor serviço. Por isso, flexibilidade é um ponto muito importante para nós.

Ao fazer uma assinatura com a Orgânicos in Box, você não fica preso com a gente: não tem carência nem multa por cancelamento. Você pode cancelar quando quiser ou suspender temporariamente caso entre de férias, por exemplo. É só entrar diretamente na seção de “gestão de assinatura” em nosso site ou entrar em contato com o nosso setor de Felicidade do Cliente e solicitar. Aqui vão os nossos contatos para você falar com a gente quando precisar:

E-mail: contato@organicosinbox.com.br

WhatsApp: (21) 99971-4041

Telefone: (21) 3500-6640 / (21) 99971-4041

Flexibilidade na entrega

Também buscamos flexibilizar nossas entregas ao máximo. Estamos trabalhando para melhorar ainda mais nossa logística e, em breve, abrir novos horários e datas de entrega. Hoje nossa disponibilidade é a seguinte:

– Zona Sul, Grande Tijuca, Méier, Freguesia e Jacarepaguá: 3ª, 5ª e sábado

– São Conrado, Barra da Tijuca e Itanhangá: 3ª, 5ª e sábado

– Niterói: 3ª e sábado

– Santa Teresa: 3ª e 5ª

– Recreio: somente 5ª

– Zona Norte: somente sábado

Atualmente nossas entregas são realizadas em horário comercial, então é importante ter alguém para receber sua cesta. Caso não esteja em casa no dia da entrega, deixe avisado na portaria!

Flexibilidade na escolha de produtos

Nossas cestas prontas têm o melhor custo-benefício, pois combinam variedade e um desconto especial. Nas cestas prontas, você pode substituir até dois itens para ela ficar mais do seu jeito. Funciona assim: você tira até dois itens que não quer receber da cesta e acrescenta até dois itens no lugar, pagando a diferença de valor, caso haja.

Você também pode montar uma cesta personalizada escolhendo item a item no nosso mercado. Ah, nossos assinantes têm 10% de desconto nos produtos do mercado e podem receber suas compras junto da cesta sem pagar frete extra – fica a dica!

orgânicos in box: orgânicos do seu jeito

***

Ainda tem dúvidas sobre as assinaturas da Orgânicos in Box? Entre em contato com a gente!

Conheça todas as assinaturas aqui.

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Como fazer suas folhas orgânicas durarem mais

Uma alimentação balanceada deve conter uma boa quantidade de frutas, legumes e verduras, e as cestas prontas da Orgânicos in Box são montadas pensando em proporcionar equilíbrio e saúde na sua rotina. Para isso, é claro que as folhas orgânicas não ficam de fora, já que possuem muitas fibras e nutrientes essenciais à nossa dieta. E, vamos combinar, uma saladinha e uma verdura refogada sempre caem muito bem!

Além de gostosas e nutritivas, as folhas também são os itens mais frágeis das nossas cestas. Por serem delicadas, sofrem mais com o calor e a variação da temperatura e têm uma vida útil muito menor do que uma raiz, por exemplo. Mas calma que a gente te ajuda a cuidar bem delas: montamos este guia de como fazer suas folhas orgânicas durarem para você aproveitar as verdinhas ao máximo.

Conhecendo as folhas

A diversidade de folhas vai muito além de alface e couve. E quem assina nossas cestas sabe que a gente gosta mesmo é de variar – a saúde agradece! Em geral as folhas podem ser consumidas cruas ou cozidas, mas algumas ficam melhor de um jeito e outras de outro. Veja alguns exemplos:

  •   As folhas verde escuras, como a couve e o espinafre, são mais resistentes e duram mais tempo na geladeira. Repare bem: as verduras que têm folhas mais grossinhas em geral resistem mais e ficam ótimas refogadas.
  •   Já a alface e os temperos precisam de cuidados mais especiais. Sempre recomendamos lavar e armazenar a alface logo que sua cesta chegar, pois assim dura muito mais. O mesmo vale para os temperos: ervas como manjericão, salsa e coentro são frágeis e murcham com facilidade. Para fazê-las durar mais, coloque-as em um copo com água e uma pitada de açúcar, trocando a água diariamente. Você também pode lavar, secar e armazenar suas ervas e folhas na geladeira dentro de um recipiente bem fechado forrado com um pano seco ou papel toalha. 

Como higienizar as folhas

Lave cada uma das folhas em água corrente para retirar toda a terra e qualquer outra sujeira ou bichinho que possa estar escondido por ali. Com essa primeira lavagem, as folhas que você for refogar já estão prontas para a panela.

Para as folhas que você for usar em saladas recomendamos deixar de molho de 15 a 30 minutos em água com o bactericida da sua preferência – pode ser cloro (que é facilmente encontrado em supermercados) ou uma mistura de água diluída em água sanitária (1 colher de sopa para cada litro de água).

Dicas de armazenamento

Depois de lavadas é importante secar bem as folhas. Para isso você pode usar um secador de salada ou deixar escorrer o excesso de água em um escorredor de macarrão e depois secar uma a uma com um pano limpo. É um pouco trabalhoso, mas fazendo isso suas folhas podem durar muito mais – e para isso é importante que elas estejam bem sequinhas.

Se não for consumir tudo logo de primeira, guarde suas folhas em um pote grande bem fechado e forrado com papel toalha ou um pano limpo. Se tiver muitas folhas, faça camadas com o pano ou papel.

Secando e congelando

Algumas folhas aguentam bem o freezer e outras, especialmente as ervas, podem ser desidratadas.

O que secar e como fazer

Secar ervas em casa é muito simples. Ervas mais resistentes como alecrim, orégano, louro e tomilho podem ser desidratadas no varal e armazenadas, durando até 3 meses. Para secar, amarre o ramo de ervas em um barbante e pendure-o de cabeça para baixo no varal. Deixe secando por cerca de uma semana. Quando as folhas mudarem a coloração e estiverem com aspecto seco, retire-as dos galhos e armazene em um pote bem fechado.

Como fazer suas folhas orgânicas durarem mais: secar folhas

O que congelar e como fazer

Cada folha exige um tipo de congelamento, então separamos algumas dicas para você:

  • Se você é fã de suco verde, pode congelar folhas de couve e levá-las direto ao liquidificador quando for bater o suco.
  • Ervas como salsa, cebolinha e coentro congelam muito bem. Pique-as e guarde em um pote no freezer e, quando precisar, acrescente direto à preparação.
  • Essas mesmas ervas, além do manjericão, podem ser congeladas com azeite e manteiga. Para a manteiga saborizada, basta misturar as ervas à manteiga e congelar. Para o azeite temperado, encha forminhas de gelo com azeite e adicione as ervas picadas. Quando precisar, coloque um cubinho de azeite direto na panela para derreter.
  • Você também pode fazer cubinhos de gelo com hortelã, cânfora e outras ervas aromáticas para saborizar suas bebidas

***

Agora que você já sabe como cuidar das folhas para aproveitá-las ainda mais, que tal assinar e receber folhas orgânicas em casa?

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Orgânicos: uma escolha de impacto

Se alimentar com orgânicos é uma escolha que gera impacto ambiental, social e na sua saúde

Cada vez mais consumidores estão atentos às mudanças do mundo e fazem escolhas mais alinhadas com seus valores também na alimentação. No Brasil, o setor de orgânicos aumentou 15% em 2019 em relação ao ano anterior, e essa é uma tendência mundial.

Como disse Bela Gil, comer é um ato político, e as escolhas que você faz, como consumidor, geram um impacto que vai muito além da comida. Quando você escolhe assinar uma cesta da Orgânicos in Box, essa escolha impacta diretamente na sua saúde e na da sua família, mas também traz benefícios para o meio ambiente e para o desenvolvimento socioeconômico das áreas rurais.

Impacto ambiental

A agricultura orgânica é um modelo de produção essencialmente sustentável: por não fazer uso de nenhum produto químico, como pesticidas e adubo artificial, não polui o solo e as águas, preservando a fauna e a flora local. Falamos mais sobre isso neste post.

Nos cultivos orgânicos é fundamental a prática da rotatividade de culturas, o que permite que o solo se regenere e se mantenha rico em nutrientes – isso, inclusive, reflete na qualidade nutricional do alimento.

Para além da produção, nas nossas cestas de orgânicos evitamos ao máximo o uso de plástico. Porcionamos tudo no nosso centro de distribuição e só embalamos o que realmente precisa ser embalado – é o caso das frutas mais frágeis, como o morango, por exemplo. Sem a embalagem, seus morangos não chegariam inteiros até você! Além disso, a sacola onde enviamos nossa cesta é retornável, por isso, guarde-a e devolva ao entregador na próxima entrega, para que possamos reaproveitá-la.

Nosso modelo de negócio também impacta diretamente no desperdício de alimentos. A Orgânicos in Box funciona como uma compra coletiva: primeiro nós divulgamos a lista de produtos prontos para serem colhidos. Você, então, escolhe o que quer que venha na sua cesta e, só depois, nossos produtores parceiros fazem a colheita. Isso permite que só o que já está com a venda garantida seja colhido, e não ao contrário, como acontece nas feiras e mercados, em que primeiro se colhe os alimentos para depois ver o que será vendido – o que frequentemente gera um imenso desperdício!

Impacto social

Ao comprar orgânicos no supermercado, repare bem de onde eles vêm: em geral, vêm de outros estados, e isso significa que passaram por vários intermediários até chegar a você. Na Orgânicos in Box, damos preferência aos alimentos produzidos localmente, o que garante que eles chegam mais frescos até você. Além disso, isso reduz drasticamente o número de pessoas entre você e a sua comida. Assinando nossas cestas, só há um intermediário entre você e a sua comida: nós.

Diminuir o número de intermediários entre o produtor e o consumidor reduz as emissões de carbono prejudiciais ao meio ambiente, mas também garante que o produtor rural receba uma remuneração mais justa pelo seu trabalho. Aumentar a renda do trabalhador do campo reflete no desenvolvimento econômico e social das áreas rurais do nosso estado.

Mas então por que não comprar direto do produtor? A Orgânicos in Box também não é um atravessador? Historicamente essa figura do atravessador foi vista como uma figura do mal, que explora o produtor, mas nós não nos enxergamos assim. Além da nossa preocupação social com os produtores e trabalho através do comércio justo, há muita vantagem em ter esse elo na cadeia produtiva. Conseguimos estruturar a logística do produção de forma a ganhar escala e diversidade na produção! Dessa forma o produtor foca no que ele sabe fazer de melhor, potencializa o alcance dos seus alimentos e você ganha em diversidade e preço! 😉

***

Se você é nosso assinante, agora já sabe como suas escolhas impactam positivamente no nosso entorno. Se ainda não é, que tal começar a fazer a diferença? Conheça nossas cestas aqui.

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Couve-flor assada inteira

Receita de couve-flor assada inteira

Ingredientes:

  • 1/4 xícara de azeite
  • 4 dentes de alho picados
  • 2 colheres de sopa de shoyo
  • 1 colher de chá de páprica defumada
  • ½ colher de chá de masala (ou curry em pó)
  • 2 colheres de sopa de tomilho fresco
  • ¼ xícara de vinho branco (opcional)
  • 1 couve-flor média
  • 2 batatas doce médias, descascadas e cortadas em pedaços de 1cm
  • raspas de 1 limão siciliano
  • 1 lata de tomate pelati (400g), picados grosseiramente
  • sal e pimenta a gosto

Preparo:

Leva 1 hora e 20 minutos

Pré aqueça o forno a 180 graus.
Misture o azeite, o alho picado, o shoyo, a páprica defumada, a masala, o tomilho fresco e o vinho branco. Reserve.
Lave a couve-flor e retire as folhas externas. Vire a couve-flor de cabeça pra baixo e corte um x na base do seu caule. Isso vai ajudá-la a assar por dentro e absorver o tempero.
Pincele a couve-flor inteira com a mistura de temperos. Coloque-a no meio de uma travessa grande, tampe com papel alumínio e leve ao forno por 50 minutos.
Retire do forno e acrescente as batatas doces cortadas e as raspas de limão ao redor da couve-flor. Volte ao forno sem o papel alumínio e asse por mais 20 minutos.
Acrescente o tomate pelati ao redor das batatas, com uma pitada de sal e pimenta do reino. Volte ao forno por mais 10 minutos, ou até a couve-flor estar bem dourada e as batatas cozidas.
Sirva a couve-flor em fatias grossas, acompanhada das batatas.

Dicas:

​- Você pode utilizar qualquer tipo de batata.
– O prato fica uma delícia acompanhado de arroz integral com amêndoas, salada verde, cogumelos etc.

​​Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Escondidinho de brócolis e palmito

Receita de escondidinho de brócolis e palmito

Ingredientes:

  • 1kg de aipim
  • 1 brócolis americano grande (ou 2 pequenos)
  • 300g de palmito orgânico em conserva, picado
  • 2 dentes de alho
  • 1 cebola pequena
  • 4 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • queijo vegano ralado (opcional)
  • tomilho
  • sal e pimenta a gosto

Preparo:
Leva 45 minutos e rende 6 porções

Coloque uma panela com água para ferver.
Descasque o aipim e corte-os em pedaços médios.
Cozinhe por 20 minutos ou até ficarem bem macios.
Corte as cebolas em quadradinhos, os alhos em rodelas e os brócolis em pedaços médios.
Refogue a cebola e o alho em um pouco de azeite e acrescente o brócolis.
Deixe cozinhar por alguns minutos e quando estiverem ficando macios acrescente o palmito. Acerte o sal e a pimenta.
Cozinhe por mais 2 minutos e retire do fogo.
Faça um purê processando o aipim com 3 colheres de azeite e uma concha da água do cozimento.
Tempere com tomilho e sal.
Pré-aqueça o forno a 200 graus.
Em uma travessa grande, coloque o brócolis e o palmito refogado e cubra com o purê de aipim.
Salpique um pouco de queijo vegano ralado (opcional, mas fica uma delícia).
Leve ao forno por 15 minutos ou até gratinar.

Dicas:​
Você também pode fazer o brócolis no vapor do microondas. Basta colocar o brócolis em pedaços numa cumbuca de vidro ou prato fundo com 2 colheres de sopa de água, tampe com um prato e coloque no microondas por 2 minutos. Pronto! Depois é só misturar com o que foi refogado. Cozinhar no vapor ajuda a preservar a cor e os nutrientes dos alimentos, sem contar que eles ficam super crocantes!


​​Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Chucrute

Receita de chucrute de repolho orgânico

Ingredientes:

  • 1 repolho
  • 1 colher de sopa de sal marinho
  • 1 pote de 500ml de vidro com tampa (esterilizei ele no forno por 5 minutinhos)
  • 1 colher de chá de especiarias (é opcional, mas eu usei sementes de mostarda e kummel)

Preparo:

Leva 15 minutos (mais 1 semana de fermentação) e rende 1 pote de 500ml

Retire 2 folhas de fora do repolho e reserve.
Corte o repolho em fatias finas.
Coloque em um bowl grande com o sal e amasse com as mãos por alguns minutos até ele soltar bastante água. Ponha algum peso por cima (eu coloco um bowl de cerâmica pesado) e deixe apertado assim por uns 10 minutos. Ele vai soltar bastante água, e essa água vai ser usada no chucrute.
Preencha o pote de vidro com o repolho, apertando com os dedos para que ele fique bem apertado, sem espaço de ar. Adicione as especiarias se desejar.
Preencha o pote com o vidro, deixando o repolho totalmente submerso na água. Caso seja necessário, preencha com mais um pouquinho de água filtrada. Deixe um espacinho livre no pote para ele não transbordar com a fermentação.
Use as folhas de repolho reservadas para segurar o repolho submerso na água.
Tampe e deixe fermentando em local escuro por 5-10 dias, vá provando até chegar no ponto certo pro seu paladar.
Depois de fermentado, conserve na geladeira por até 1 mês.


Dicas:
Nunca manuseie os fermentados com utensílios de metal. Dê preferência a vidro, cerâmica ou madeira.
Quando começarem a surgir bolinhas no vidro, abra e feche a tampa apenas para liberar o gás (cuidado para não se esquecer pois ele pode estourar).
A fermentação do chucrute deve ser feita sem contato com o ar, e por isso é importante que o repolho esteja submerso no líquido. Caso não esteja, acrescente mais líquido.​

​​Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Salpicão de grão de bico

Receita de salpicão de grão de bico

Ingredientes:

  • 1 xícara de maçã verde, em quadradinhos
  • 1/2 xícara de cebola roxa, em fatias bem finas
  • 2 xícaras de cenoura, ralada
  • 1 xícara de milho cozido
  • 1/2 xícara de passas
  • ¼ xícara de azeitonas
  • 2 xícaras de grão-de-bico cozido
  • 1 xícara de batata palha caseira*
  • Maionese vegana
  • 1 xícara de castanha de caju crua, de molho por 1 hora em água quente
  • 2 colheres de sopa de limão
  • 1 colher de sopa de mostarda
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 3 colheres de sopa de água
  • ¼ colher de chá de pimenta do reino
  • sal a gosto

Preparo:

Leva 30 minutos e rende 4 porções

Em um liquidificador de alta potência, bata todos os ingredientes da maionese. Prove e acerte o sal.
Misture todos os ingredientes do salpicão, exceto a batata palha, com a maionese vegana.
Na hora de servir, salpique a batata palha por cima.
Dicas:

*Para fazer a batata palha caseira, rale 1 batata grande sem casca.
Aqueça 1 xícara de óleo de coco em uma wok e frite até ficarem douradas.
Escorra as batatas em papel toalha, salpique uma pitada de sal e deixe esfriar para ficarem crocantes.
Você também pode utilizar batata doce ou inhame palha.​

​​Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Ceviche de banana

Receita de ceviche de banana

Ingredientes:

  • 12 bananas (não muito maduras)
  • 3 cebolas roxas
  • ½ pimenta dedo de moça, picada
  • 1 xícara de suco de limão galego
  • ½ xícara de suco de laranja
  • 3cm gengibre fresco, ralado
  • 1 maço de coentro, picado
  • azeite
  • sal e pimenta
  • 2 batatas doces médias
  • azeite

Preparo:

Leva 1 hora e 20 minutos

Esprema o suco dos limões galegos e das laranjas.
Corte as cebolas em rodelas bem finas e coloque-as em um recipiente grande com o suco das frutas, o gengibre e a pimenta. Reserve.
Corte as bananas em rodelas levemente diagonais e vá adicionando ao mesmo recipiente. Não deixe as bananas fora da marinada por muito tempo, pois elas começam a escurecer.
Adicione meio maço de coentro picado (deixe a outra metade para a hora de servir).
Tempere com sal e pimenta a gosto.
Coloque na geladeira por mais ou menos 1 hora.
Com a ajuda de uma mandolina (ou uma boa faca), corte as batatas em fatias bem finas.
Disponha as fatias em uma assadeira, sem que uma cubra a outra.
Regue com um fio de azeite, um pouco de sal, e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por aproximadamente 20 minutos.
Vire as rodelas de batata, abaixe a temperatura do forno (aproximadamente 100 graus) e asse por mais 10 minutos até ficarem bem crocantes.
Retire o ceviche da geladeira, regue com azeite e enfeite com algumas folhas de coentro.
Sirva com o chips de batata doce.


Dicas:

Você pode acelerar o processo dos chips levando-os ao micro-ondas, em um prato coberto com papel toalha, por 6 minutos em potência alta (vire as rodelas na metade do tempo).​

Passe as batatas para uma assadeira, adicione um fio de azeite e sal e leve ao forno por apenas 10 minutos a 180 graus.

O ceviche fica uma delícia no dia seguinte e também acompanha super bem saladas, quinoa e como recheio de sanduíches.


Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados

Flan brulê tropical

Receita de flan brulê tropical

Ingredientes:

  • 4 xícaras de leite de coco caseiro*
  • 1 colher de sopa de agar agar em pó*
  • 1 colher de sopa de fécula de mandioca (ou amido de milho)
  • 2 colheres de sopa de açúcar demerara (ou substitua por seu adoçante preferido)
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 2 mangas grandes

Preparo:

Leva 15 mintos e rende de 4 a 6 porções

Em uma panela média, aqueça o leite de coco com o agar agar, a fécula de mandioca, o açúcar demerara e a baunilha, mexendo com um fouet para não empelotar. Deixe levantar fervura e continue mexendo por mais 10 minutos em fogo baixo.
Descasque as mangas, retire o caroço e processe em um processador ou liquidificador até formar um purê.
Em potinhos de vidro ou ramekins, distribua uma camada de purê de manga seguida por uma camada da mistura de leite de coco. Leve a geladeira por 1 hora até endurecer.
Para decorar, polvilhe uma camada fina de açúcar demerara e flambe com um maçarico.

Dicas:

Para fazer o seu leite de coco em casa, é só seguir essa receita. Mas também é possível fazer com leite de coco em industrializado.

O agar agar é uma alga vendida em lojas naturais e seu efeito é similar ao da gelatina.


Receita desenvolvida pela Chef Carol Perdigão

Mercado Orgânicos in Box

Faça a sua assinatura Orgânicos in Box e receba produtos desse e de vários outros produtores

Produtos relacionados